OUÇA AQUI

VOCÊ ESTÁ EM

São Paulo | MASSA FM 92.9

ESCOLHA SUA PRAÇA


O número de doações de medula óssea caiu 30% de janeiro a julho com relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com informações do Registro de Doadores de Medula Óssea no Brasil (Redome). Neste ano foram cadastrados 136.754 novos doadores, totalizando 5.212.391 doadores cadastrados no sistema.

 

Atualmente há 850 pacientes na fila de espera para o transplante de medula com a doação de não aparentados, ou seja, aquelas em que o doador não tem nenhum grau de parentesco com o receptor.

 

Para chamar atenção sobre a importância da doação de medula óssea e de outros órgãos, o mês de setembro é destacado com a cor verde e por meio da campanha Setembro Verde são realizadas ações e eventos para esclarecimento e conscientização da população sobre o impacto da doação como um ato de amor ao próximo e na vida de quem aguarda na fila por um transplante.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, as doações e transplantes de medula óssea não foram interrompidos por causa da pandemia da covid-19, mas estão sendo aplicadas algumas restrições de segurança, descritas em notas técnicas publicadas no portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entretanto, o ministério ressaltou que o novo coronavírus impactou em toda a cadeia de assistência de saúde, tornando necessária a estrutura, recursos humanos e insumos para o atendimento dos pacientes com covid-10 nos estados e municípios.

 

Segundo o ministério, por esse motivo houve redução nos números de doação, assim como o observado em países da Europa acometidos pela pandemia antes do Brasil. O número de transplantes também sofreu queda ao passar de 1.811 de janeiro a junho de 2019 para 1.144 no mesmo período de 2020.

 

Para ser doador de medula é preciso ter entre 18 e 55 anos, estar em bom estado geral de saúde, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não ter câncer, doenças no sangue ou do sistema imunológico. Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

 

Para receber a doação é preciso fazer inscrição e entrar em uma fila no Registro de Receptores de Medula Óssea (Rereme) do Instituto Nacional do Câncer (Inca), com autorização de médico avalizado pelo Ministério da Saúde. Assim que o paciente entra no Rereme, ocorre a primeira tentativa de encontrar um doador. A partir disso, o próprio sistema refaz a busca todos os dias e um resultado preliminar aponta uma lista de possíveis doadores compatíveis.

 

Fonte: Agência Brasil

Veja também

IRMÃ DE NEYMAR EMAGRECE 10 KG EM 1 MÊS E MOSTRA RESULTADO

25 set 2020.

Rafaella Santos afirmou ter emagrecido 10 kg em um mês. A irmã de Neymar usou o Instagram, nessa quarta-feira (23), para mostrar fotos de antes e depois da dieta que realizou e contar como foi o […]

JOELMA REVELA QUE SOFREU POR 40 DIAS COM COMPLICAÇÕES DA COVID-19: “SEQUELAS FICARAM”

25 set 2020.

A cantora Joelma deu entrevista para falar sobre sua luta contra a Covid-19. Ela revelou que sofreu por mais de quarenta dias com sintomas da doença. A cantora contou que várias partes do corpo […]

Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 55, Limão
Cep: 02598-900
São Paulo-SP
comercial@massafm.com.br

você está ouvindo:

Massa FM 92.9 - ao vivo

00:00
00:00